Valdenses – seita herética fundada por Pedro Valdo (de Vaux), rico comerciante em Lion, França, no séc. XII, em 1176 aproximadamente.

Tentando restabelecer a vida apostólica sob pobreza voluntária e como pregador itinerante Valdo e os seus seguidores passaram a negar os sacramentos, exceto a Eucaristia, e também negavam:

  1. as três pessoas em Deus, Trindade;
  2. que os pecados pudessem ser perdoados;
  3. a existência do purgatório,
  4. a veneração dos santos.

Afirmavam ainda que o casamento era concubinato e não aceitavam a autoridade da Igreja, acusando-a de corrupção.

Proibido de pregar a negação aos Sacramentos, por um decreto da Santa Sé em 1184, Valdo não obedeceu e foi excomungado.

Pouco antes de Pedro Valdo, o sacerdote agostiniano Arnoldo de Brescia surge como reformador, criticando a Igreja por seu domínio temporal e suas posses materiais, concebendo uma igreja puramente espiritual e sem hierarquia.

Arnoldo foi condenado por um Sínodo romano e assumiu, a seguir, a vida política na França e Suíça, sendo executado sob ordem de Frederico I, o Barba Roxa, imperador da Alemanha.