Limbo – lat. limbus, palavra de origem Teutônica, significando “limite ou as bordas de uma veste”.

  • Teologicamente se aplica ao lugar, a condição, onde permaneceriam, temporariamente, as almas dos justos que, embora purificados de seus pecados, estavam excluídos da visão beatífica até a ascensão de Jesus ao Céu (limbus patrum). Segundo o Creio, as almas dos patriarcas e profetas, foram resgatadas por Jesus, ao “descer à mansão dos mortos”.
  • Liimbus infantum ou puerorum, lugar onde estariam os não-batizados e os inocentes, privados da visão beatífica em razão do pecado original. Literariamente seu uso se aplica à “prisão ou confinamento”, como na obra literária e clássica de Milton, O Paraíso Perdido (III, 495) e uma transição não-natural exemplificada por Shakespeare em Henrique VIII, ato V, 3.

v. Batismo, Apocatástase.