Interpretação da Bíblia – Utiliza-se, na atualidade, os métodos histórico crítico e análise literária (retórica, narrativa e semiótica), com base na Tradição bíblica, na Tradição da Igreja, através das ciências humanas e abordagens contextuais.

  • Sentido Espiritual - na interpretação da Bíblia é entendido, segundo a fé cristã, como o sentido expresso pelos textos bíblicos, logo que são lidos sob influência do Espírito Santo no contexto do mistério pascal de Cristo e da vida nova que resulta dele.
  • Sentido Literal - aquilo que na interpretação da Bíblia foi expresso diretamente pelos autores humanos inspirados e não deve ser confundido com o sentido “literalista” ao qual aderem os fundamentalistas.
  • Sentido Pleno - define-se como um sentido mais profundo do texto bíblico, desejado por Deus, mas não claramente expresso pelo autor humano ou do significado que um autor atribui a um texto bíblico que lhe é anterior, como no caso do contexto de Mt 1,23, dando sentido pleno ao oráculo de Isaías 7,14 sobre a almah (parthenos na versão grega dos Setenta) “a virgem conceberá”.
  • As Encíclicas Providentissimus Deus, Papa Leão XIII (1893) e Divino afflante Spiritu, do Papa Pio XII (1943) foram dedicadas às questões bíblicas.