Iconografia – Estudo descritivo das imagens sagradas, muito presente nas Igreja Oriental, ortodoxa e na Igreja Católica Romana.

  • S. João Damasceno, em Imag. 1,16 e 17, afirmou “Antigamente Deus, que não tem corpo nem aparência, não podia e, absoluto ser representado por uma imagem. Mas agora, que se mostrou na carne e viveu entre os homens, posso fazer uma imagem daquilo que vide de Deus {…] Com o rosto descoberto, contemplamos a glória do Senhor. A beleza e a cor das imagens estimulam a minha oração. É uma festa para os meus olhos, tanto quanto o espetáculo do campo estimula meu coração a dar glória a Deus” ”
  • O 2º Concílio de Nicéia, em 787, definiu: “Para proferir sucintamente a nossa profissão de fé, conservamos todas as tradições da Igreja, escritas ou não escritas, que nos têm sido transmitidas sem alteração. Uma delas é a representação pictórica das imagens, que concorda com a pregação da história evangélica, crendo que, de verdade e não na aparência, o Verbo de Deus se fez homem, o que é também útil e proveitoso, pois as coisas que se iluminam mutuamente têm sem dúvida um significado recíproco” (II Conc. de Nicéia, DOC 111).
  • A iconografia cristã num oratório, num recanto de nosso lar é propícia à oração, à nossa oração pessoal, na intimidade com Deus, “em segredo” como afirma o evangelho (Mt 6,6).

v. Imagens.