Velas - Simboliza a Luz e a relação entre espírito e matéria (a chama que derrete a cêra) e o seu uso como símbolo da luz divina aconteceu a partir do séc. IV ou V. Os romanos seguiram o costume dos etruscos e os cristãos também adotaram as velas nos templos, nas casas e nos túmulos. No culto cristão, as velas, assim como incenso e a música, constituem parte dos costumes e não essenciais, mas acesssório aos ritos. O uso de velas nos funerais cristãos, “velar” o falecido, em verdade, reside na prática dos judeus em confirmar se a pessoa estava efetivamente morta e não fosse indevidamente sepultada; por isso os sepulcros não eram lacrados por três dias (exceção ao de Jesus, mandado lacrar pelas autoridades, cf. Mt 27,66), eram visitados com frequência e corpo examinado com rigor à procura de sinais de vida. Em Roma esse costume transformou-se no costume de velar os defuntos por oito horas antes do funeral e até a Idade Média colocava-se uma vela acesa à frente do rosto do cadáver para certificar-se de que não havia mais respiração. (que faria tremular a chama da vela.