Silêncio Litúrgico -

Na Missa, os momentos de silêncio sagrado, de diálogo interior com Jesus Eucarístico, atitude de fé e reverência da assembléia litúrgica, diante do mistério que se realiza.

O momento da Consagração é o principal momento do chamado silêncio litúrgico. Entre as “Instruções Gerais sobre o Missal Romano” encontra-se a prescrição: (nº 23) “…no ato penitencial e após o convite à oração (Oremos) cada fiel se recolhe; após uma leitura ou homilia, meditam brevemente sobre o que ouviram. Após a comunhão, enfim louvam e rezam a Deus no íntimo do coração”.

Antes da reforma litúrgica feita pelo Conc. Vaticano II, no momento da Consagração, quando o celebrante elevava a hóstia e o vinho consagrados, os fiéis pronunciavam em voz alta a exclamação “Meu Senhor e meu Deus, eu creio” (cf. Jo 20,28); em seu lugar introduziu-se o convite feito pelo celebrante “Eis o mistério da Fé”, com a resposta uniforme de toda a assembléia “Salvador do mundo, salvai-nos (…)”.