Segredos de Fátima - As revelações feitas por Nossa Senhora, durante seis meses do ano de 1917 em Fátima, Portugal, aos três pastorinhos videntes, os Beatos Francisco, sua irmã Jacinta, (falecidos em 1919 e 1920 respectivamente) e Lúcia, falecida em 2005, religiosa contemplativa do Carmelo de Coimbra em Portugal.

O 3º e último “segredo”, escrito em 1944, e entregue pela própria irmã Lúcia ao Papa, em 1947, em envelope lacrado com a sua observação pessoal (não por exigência de Nossa Senhora) de que deveria ser aberto somente depois de 1960. O envelope ficou guardado no Arquivo Secreto do Vaticano até 1959 quando o Papa João XXIII o devolveu ainda selado ao Arquivo e em 1965 o Papa Paulo VI leu seu conteúdo e o devolveu para o Arquivo de Santo Ofício, com a decisão de não publicá-lo.

Por fim João Paulo II o leu em 1981 (após o atentado contra a sua vida em 13 de maio desse mesmo ano) e foi devolvido novamente ao Arquivo e em Junho de 2000 o Santo Padre tornou público a terceira parte do Segredo de Fátima

O seu texto que não traz nenhuma revelação espetacular sobre o futuro, como muitos esperavam, é uma revelação simbólica, se referem às palavras de Nossa Senhora, e faz breve referência à ex-União Soviética (a Revolução Russa começou no mesmo ano das Aparições e a URSS foi desfeita em 1989), faz um apêlo à penitência e à conversão.

A célebre frase-chave deste 3º Segredo, expressa pela Virgem Maria é: “O meu Imaculado Coração triunfará”.