Sacerdotes – gr. hieréis.

  • Substantivo que, no plural, de norma designa os sacerdotes levíticos do AT e, às vezes, os sacerdotes pagãos.
  • Aparece usado com sentido cristão no NT, somente no Apocalipse (1,6;5,10; 20,6) para individualizar todos os cristãos, não uma classe especialista no culto divino.
  • Jesus era leigo para a sociedade judaica e foi chamado pelos apelativos mestre, rabi, profeta e às vezes messias, mas nenhuma vez sacerdote, hieréis (cf. Hb 7,14), embora tenha sido o verdadeiro “grande Sacerdote” (mégas hieréus).
  • Como o conjunto de todos os crentes, o abstrato hieratéuma= comunidade sacerdotal, aparece somente duas vezes em 1 Pd 2, 5.9 como o “sacerdócio santo, real” dos batizados.

Sumo Sacerdote -

  • Em Israel o Sumo Sacerdote de hebraico guita, transl. Kohen Gado, era o supremo posto religioso do seu povo.
  • Ele comandava o culto e os sacrifícios, no início no Tabernáculo e a seguir no Templo de Jerusalém. Conforme a tradição bíblica, somente os descendentes de Arão, irmão de Moisés, poderiam ser elevados ao cargo normas nas quais, nos anos seguintes, foram gradualmente abolidas por intervenções políticas.
  • O sumo sacerdote presidia o Sinédrio, assembleia sacerdotal de Israel. Para exercer o cargo de sacerdote, o candidato deveria pertencer à linhagem da tribo de Levi.
  • Anás ben Sete, Anás o pai, sogro de Caifás (Jo 18:,13! Lc 3:2; At 4:6) e Josefo ben Caifás, casado com a filha de Anás, são os sumo sacedotes mais conhecidos nos Evangelhos e no NT - Mt 26,3; Lc 3,2; Jo 11,49, 18:14; At 4,6.