Publicano – gr. telónai.

Os romanos não cobravam diretamente os tributos nas províncias, confiando tal serviço a grupos autônomos com um grande coletor e os pequenos exatores, todos judeus contratados que por isso eram duplamente cobertos de desprezo por seu povo;

a Mishná o considera um trabalho sumamente desprezível, ao lado do usurário, e nos Evangelhos são nivelados às prostitutas, ladrões e adúlteros, mas no entanto, podem preceder os “puros” no Reino de Deus por acreditarem no Cristo (Mt 21,31-32;Lc 18,11).

Jesus foi criticado por ter ido à casa de um deles (Lc 19,7) e acusado de ser amigo desses “abomináveis” (Mt 11,19; Lc 7,34); Levi, depois chamado a ser Mateus o apóstolo, era um pequeno coletor de impostos (exator) e Zaqueu era o “chefe dos publicanos” (architelônés) em Jericó (Mc 2,13;Lc 5,27;19,1-10).