Primado de Pedro – lat. primatus.

O poder papal, a jurisdição episcopal suprema do Papa, a partir da Sé de Roma, com Pedro e seus sucessores, um dos dogmas da Igreja; Jesus definiu esse Primado em Pedro como seu vigário (Mat 16,18-19); é o administrador supremo da Igreja (Jo 21,15-18) e a mais alta autoridade docente, magisterial (Lc 22,32b).

hist. 1. o Conc. de Nicéia estabeleceu a igualdade entre os patriarcas de Jerusalém, Antioquia e Roma, mas já se atribuía autoridade especial ao bispo de Roma, em matéria de doutrina, pela autoridade de S. Pedro, fundador da Igreja de Roma; 2. em 445 o Édito de Valentiniano III, confirmou a primazia do bispo de Roma no ocidente; 3. Teodoreto de Ciro, historiador eclesiástico grego, antioqueno (198-458) afirmou “o grande apóstolo Pedro foi o primeiro que pregou aos romanos a doutrina do Evangelho” (In. Cap. 1 Ep. Ad Rom.); 4. Leão Magno (440-461) em carta ao Conc. de Calcedônia, em 451, afirmou que, “por meio do bem-aventurado Príncipe dos Apóstolos, a Santa Igreja Romana possui o primado sobre todas as igrejas da orbe (mundo)” (Ep., 45,4).

v. Papa.