Pleroma – gr. πλήρωμα , o que se completa (geralmente se referindo à totalidade dos poderes divinos).

  • A palavra também significa plenitude (do grego πληρόω, “Eu preencho”), comparável a πλήρης que significa “cheio” e é usada em contextos teológicos cristãos, tanto gnósticos quanto por Paulo de Tarso em Colossenses 2:9.
  • O conjunto do Ser trinitário, a Trindade santa e eterna: “No princípio era o Verbo e o verbo estava com Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus, todas as coisas foram feitas por ele e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens.E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória como a glória do Pai cheio de graça e de verdade” Jo 1, 14.14