Pias, Fontes de Agua Benta - gr. χαγιάσμα, hagiasma; lat. cantharus, cântaro ou phiala, bacia.

  • Originalmente as antigas “fontes de água abençoada”, ficavam colocadas no centro do átrio das Basílicas, como hoje se vê no Oriente, no Monte Atos, Egito e em Djebei na Síria e os fiéis, antes de entrarem no templo, nelas lavavam as suas mãos e pés, um rito com origens no judaísmo e no islamismo.
  • Após o séc. XI devido às mudanças arquitetônicas das igrejas limitando o átrio a um vestíbulo menor, essas fontes tiveram seus tamanhos reduzidos à pias, com água não corrente, confeccionadas em bronze, mármore, granito, pedra e terracota, apoiadas sobre um pedestal ou embutidas nos pilares do templo.
  • Uma descrição da igreja de Santa Sofia em 590, menciona uma phiala one “a água jorra com tal ruído e força que espanta todos demônios…”.
  • No séc. IV a benção da água era citada no ritual de S. Serapião e no rito Bizantino sua benção se assemelha à epiclese eucarística, invocando o Espírito Santo sobre esse elemento natural, que passa a ser chamada hagiasma, abençoada ou benta.
  • Na Itália e Espanha surgiram fontes com grande volume e detalhes artísticos que chegavam a serem confundidas com as Pias Batismais, como ainda existem na catedral de Florença, cuja pila d´áqua santa é atribuída ao mestre Giotto e na Catedral de Siena, exibindo figuras de anjos, pessoas e guirlandas.
  • Na Idade Média a água benta recebia tal respeito que era tirada das fontes somente com o aspersório a ela acorrentados; no início eram feito com galhos de hissopo e palmas, parte inseparável dessas fontes.
  • Na França fazia-se aspersórios com a cauda de uma espécie de raposa, que deu origem ao nome goupillon aos aspersórios em geral. Somente bem mais tarde tomaram a forma reduzida e portátil de uma haste de prata e ouro, ou metal, ornamentada com uma flor em sua extremidade, por onde espirrava a água.
  • S. Carlos Borromeu na Itália, no séc. 16, prescreveu regras para a construção dessas fontes na Diocese de Milão, detalhando materiais, acabamento, posicionamento e outros detalhes artísticos e acessórios, como os aspersórios a elas ligados por correntes.

v. Hagiasma.