Monasticismo – gr. , pessoa solitária. O ascetismo, a prática da abdicação dos objetivos comuns dos homens em prol da prática religiosa; a organização e condição da vida enclausurada nos mosteiros.

  • Santo Antão (250-356) que viveu no deserto, às margens do Mar Vermelho por oitenta anos, é considerado o mais ilustre monge da igreja Antiga por seu incentivo a essa forma de vida eclesial no séc. IV.
  • Nesse mesmo século S. Basílio, o Grande, (329-379), Bispo em Cesaréia, foi um dos seus fundadores.
  • S. Pacômio, por sua vez,no Baixo Egito, procurou transformar a vida eremítica em vida monástica, um prolongamento da antiga vida eremítica, do qual herdou o aspecto da contemplação, (vida de oração) e adicionou forma de vida em comum e o trabalho.
  • O Egito foi a pátria do monasticismo, onde o monasticismo floresceu no ano 330;
  • o Monte Atos, na Macedõnia/Grécia, fundado em 963, e foi considerado o maior centro monástico do mundo cristão. S. Bento de Núrsia, (480-547), por ser seu principal legislador, reformador e unificador, é considerado o “pai” do monasticismo no Ocidente.
  • S. Bento de Aniane (750-821) foi o sistematizador das normas beneditinas e seu capitulare monasticum recebeu aprovação da Santa Sé em 817 e foi a base das reformas da vida monástica na França.