Fogo - Símbolo da majestade e da força divina (Dt 4,24; Is 33,14; Sf 1,18). *

  • Deus apareceu a Moisés na sarça ardente (Ex 3,2), manifestou-se como fogo no Sinai (19,18); purifica e limpa o impuro (Lv 1,9; 10,2; Nm 11,1-3; Is 1,25; 6,7; Mt 7,19; 13,40-42; Jo 15,6).
  • Assim a ira divina é representada pelo fogo que pune os maus (Gn 19,24s; Sl 50,3; Mc 9,49). Jesus compara o castigo definitivo dos maus com o fogo que não se apaga (Mt 18,8; 25,41) e diz que “veio lançar fogo à terra” (Lc 12,49) anunciando o Espírito que nos seria dado.
  • Também é a virtude renovadora e transformadora do Espírito Santo no Cenáculo, no Pentecostes cristão, quando aparece como “línguas de fogo” (At 2,3). João Batista anunciava aquele que “batizará no Espírito Santo e em fogo” (Mt 3,11; Lc 3,16).