Fariseus -hebr. Perushim, separados ou separatistas. A mais influente seita, ou associação nacionalista, de judeus piedosos que se declaravam leigos, existente desde o tempo dos Macabeus (aproximadamente do 2º séc. a.C. ao 1º séc. d.C.).

  1. Historicamente citados por João Hircano e Alexandre Janeu e, de acordo com Flávio Josefo, eram influentes dentre o povo, com um padrão de vida simples e com o povo se mantinha em harmonia, organizavam-se em comunidades e seus membros eram recrutados entre os artesãos e pequenos comerciantes mais favorecidos.
  2. Compunham-se de leigos, embora entre eles houvessem sacerdotes, sem a formação dos escribas, e somente seus chefes e membros mais influentes se tornavam escribas e também atuavam como advogados, na condição de juízes do Sinédrio e eram chamados de rabís pelo povo (Mt 23,7).
  3. Os fariseus interpretavam escrupulosamente todo o AT e não somente os cinco Livros da Lei, como os Saduceus, respeitavam com rigor o Sábado, eram cuidadosos com a pureza legal e o pagamento integral dos dízimos, acreditavam na existência dos anjos, no julgamento após a morte e na ressurreição dos justos e do seu meio saiu o grupo dos zelotas (zelosos).

v. Zelotas, Historiadores Judaicos.