Ética - gr. ethos, usos e costumes, conduta moral.

  • O tratamento científico da ordem moral dividido em ética teológica, ou cristã, e ética filosófica, embora usualmente entendida como filosofia ética ou moral, e esta é uma divisão da filosofia prática.
  • Teoricamente, ou de forma especulativa, a filosofia tem a ver com o ser , ou com a ordem das coisas não dependentes da razão enquanto a filosofia prática diz respeito ao que deve ser, ou com a ordem dos atos humanos os quais de dependem da nossa razão.
  • A filosofia prática pode ser dividida em lógica (normativa, que ordena as atividades intelectuais ensina o método apropriado de encontrar a verdade, seu objeto) e ética (prática, que dirige as atividades do querer e cujo objeto é o bem).
  • Podemos definir então que a ética é a ciência de retidão moral dos atos humanos em acordo com os princípios primeiros da razão natural e que não somente dirige o homem a como agir, se deseja ser moralmente bom, mas o coloca diante da obrigação absoluta de fazer o bem e evitar o mal.
  • A ética cristã se confunde com a Teologia Moral, no entanto, para alguns especialistas esta se ocuparia da prática cristã enquanto aquela buscaria o discernimento que apoiaria essa prática, ou seja, a Ética Cristã é a capacidade de reflexão e crítica que as pessoas podem, e devem, desenvolver.
  • A técnica sem a ética se torna desumana, como é o caso da atual biotecnologia de clonagem humana reprodutiva e ainda que seja unicamente com “fins terapêuticos”, em ambos os casos é contra a vida humana.
  • A linha de separação entre ética e teologia moral encontra-se na Idade Média entre os trabalhos dos Escolásticos S. Alberto, o Grande (1193-1280), S. Tomás de Aquino (1225-1274), S. Boaaventura (1221-1274) e Duns Escotus (1274-1308).

* Uma completa revolução na ética aconteceu com o filósofo Immanuel Kant (1724-1804) e seus seguidores (Fitche, Schleirmacher, Wundt) que selecionaram várias doutrinas e suas éticas e com isto as combinaram com vários sistemas panteísticos.