Cremação - hist. A cremação de cadáveres foi proibida no tempo do imperador Constantino, no início do séc. IX, até então prática comum entre os romanos; no entanto, para os cristãos, sendo o corpo considerado “templo do Espirito” (1 Cor 3,16), não deveria ser queimado, exceção aos casos de prevenção de enfermidades, embora não associassem as epidemias aos corpos dos que morriam por certas doenças.

  • Na igreja católica, na atualidade, o Cód. Can. não proíbe a cremação a menos que a família opte por ela como forma de, publicamente, opor-se à doutrina e eos ensinamentos da Igreja católica.