Cânon do Novo Testamento

  • O Novo Testamento católico, definido dogmaticamente pelo Conc. de Trento, não é diferente do demais na atualidade.
  • Como no AT , o NT teve livros, e partes deles, considerados deuterocanônicos, razão de controvérsias na Igreja como os sete livros contestados, ou parte de alguns deles: a Carta aos Hebreus, Tiago, a 2ª Carta de S.Pedro e a 3ª de João, Judas e Apocalipse.
  • O decreto Tridentino definindo o Cânon afirma a autenticidade dos Livros, seus títulos, a sua ordem e segue a Bula de Eugênio IV (1431-1447) do Conc. de Florença, exceção a Atos dos Apóstolos que precedia o Apocalipse e foi levado ao lugar atual e Hebreus que encerra as epístolas paulinas, ordem que foi mantida na Vulgata e nas Bíblias católicas no vernáculo.
  • O NT católico é idêntico para os ortodoxos russos e outras denominações da Igreja Ortodoxa Oriental.
  • Os protestantes concordam com este Cânon e o único traço remanescente de distinção está na Bíblia Protestante Alemã com a alteração na ordem dos livros - Hebreus no final, com Tiago, Judas e Apocalipse; Hebreus não se inclui nos escritos paulinos, enquanto Tiago e Judas não se classificam como Epístolas Católicas.