Belém – hebr. Beth-Lehem, casa do pão. 1. Berço da dinastia davídica, a primeira referência à Belém, a antiga Efrata, o aponta como o lugar para onde Raquel se dirigia pouco antes de, penosamente, dar à luz Benjamim, seu filho com Jacó, e onde foi sepultada (Gn 35,16-20); o Livro de Rute, a moabita, fala de Belém como o lugar de onde saiu Elimelec, seu marido (Rt 1,1-2). 2. Na Bíblia é chamada Belém de Judá, para distingui-la da outra Belém, ao norte, no território de Zebulon, a 12 quilômetros de Nazaré. Em Belém Davi foi ungido rei de Israel e, mais tarde, poderia tê-la feito capital, mas optou por Jerusalém, cidade dos Jebuseus; Belém era a cidade de onde deveria sair o novo Davi, segundo Miquéias 5,1 e por isso Lucas a nomeia “cidade de Davi”, título habitualmente dado a Jerusalém. 3. Em Belém, a “casa do pão”, nasceu Jesus “o pão vivo descido do céu” (Jo 6,51), durante o recensamento de Quirino, governador da Síria, provavelmente no ano 6 de nossa era (Lc 2,1-2).