Astrologia - Caracterizada como pseudociência pela comunidade científica internacional se refere a qualquer um dos vários sistemas de compreensão, interpretação e organização do conhecimento sobre a realidade da existência humana, com base nas posições relativas e movimentos de corpos celestes.

  • A astrologia se desenvolveu na Mesopotâmia no 2º milênio a.C. interpretando fenômenos meteorológicos e astronômicos como prenúncios astrais que indicavam a influência dos deuses com relação aos reis e reinos.
  • Na época helenística surgiu a invenção do horóscopo, supostamente fornecendo o destino das pessoas a partir da posição dos corpos celestes nos instante de seu nascimento.
  • A astrologia era praticada pelos babilônios durante o 1º milênio a.C., foi desenvolvida pelos gregos e alcançou a Europa cristã através dos árabes.
  • Em 1586 uma Bula do Papa Sisto V condenou o uso da astrologia, à qual também eram hostís as igrejas protestantes reformadas e assim passou a ser reprovada na maioria dos países cristãos e na atualidade tornou-se desacreditada pela maioria dos cientistas uma vez que os cálculos astrológicos não levam em conta as alterações da posição da Terra e não diz respeito à Astronomia, uma ciência.
  • Nos Livros iniciais da Bíblia encontram-se advertências contra a astrologia, ao lado da advinhação, augouros, feiticismo, espiritismo e evocação dos mortos (Dt 4,19; 18,9-11) e o profeta Isaías ao citar a queda da Babilônia fala da astrologia, mapa do céu e observação de astros (Is 47,13), pois o ser humano foi criado para dominá-los.
 v. [[fatalismo|Fatalismo]].