Assunção - lat. assumir. A Virgem Maria foi “assunta”, isto é, assumida por Deus e levada ao céu em corpo e alma; esta festividade equivale na Igreja Ortodoxa à Festa da Dormição. A Assunção de Nossa Senhora foi definida como artigo de fé (dogma) pelo Papa Pio XII no dia 1º de novembro de 1950, na comemoração do Ano Jubilar, com a Const. Apostólica Munificentisimus Deus. A festa católica romana da Assunção de Nossa Senhora acontece no dia 15 de agosto e se transfere para o Domingo seguinte quando a data cai em dias de semana. v. Ano Jubilar, Copta, Dogmas, Dormição, Jubileu, Armênia, Beneditinos. Nota - Na atualidade, em Jerusalém, quando se atravessa o vale do Cedron, o primeiro monumento que se vê ao pé do Monte das Oliveiras, é a igreja da Gloriosa Assunção, erguida sobre o túmulo de onde a Virgem Maria foi levada ao céu, sem passar pela corrupção; a primeira capela foi ali construída por Juvenal, Patriarca de Jerusalém, (422-458), logo após o Conc. de Calcedônia em 431. A seguir ali foi erguida uma igreja venerada como o Túmulo da Virgem Maria e nesse local, Godofredo de Bulhões construiu, para os Beneditinos de Cluny, o mosteiro conhecido como Santa Maria do Vale de Josafá, a quem a igreja foi confiada e a seguir foi demolida antes da chegada dos Cruzados a Jerusalém que a reconstruíram em 1130, mais tarde destruída pelo muçulmano Saladino, em 1187, que usou suas pedras para erguer a muralha de Jerusalém. Desde 1757 o rito Grego-Ortodoxo tomou posse desse santuário que é dividido com os armênios e os sírios e onde coptas e abssínios têm direitos reduzidos.