Anjos gr. Angelos – Puros espíritos inteligentes e livres, criados por Deus e capazes de conhecer a sua beleza e glória (S. Tomás de Aquino, Summa Theologica I, 108.3)

  • Guardiões celestiais, mensageiros divinos (Dn 10,13.22;Tb 12,15/Mt 1,21;2,13) que servem a Jesus (Mt 4,11; 26.53).
  • A existência dos Anjos é dogma da Igreja (IV Concílio Lateranense [1215] e Concílio Vaticano I [1869]); os Anjos foram criados (Sl 147/148,2-5); são imortais (Lc 20,36); inumeráveis (Hb 12,22); invisíveis (Nm 22,22-31); assexuados (Mt 22,30); servem e fazem a vontade de Deus (Sl 102/103,20; Mt 4,11); eles nos guiam (Gn 24,4ss), protegem (Sl 33/34,7) e confortam (At 27,23-24.
  • Há anjos bons (Gn 28,12; Sl 90/91,11) e maus (2 Pd 2,4; Jd 6).
  • Os únicos anjos que têm nomes na Bíblia são: Gabriel (Dn 8,16; 9,21;Lc 1,26), Miguel (Dn 10,13.21) e Rafael ( Tb 12,15).
  • Jesus, no momento de sua prisão, fala aos discípulos se referindo a “legiões de anjos” (Mt 26,53);
  • Os anjos de Deus possuem uma hierarquia e os anjos rebeldes, decaídos, sob o comando de satanás, tornaram-se maus (Is 14,12-16; Ez 28,12-15).

v. Angelologia, Coro Celeste.