Abominação da Desolação - Expressão considerada obscura, encontrada em Mt 24,15 e Mc 13,14, em uma exortação de Jesus aos apóstolos sobre a ruína de Jerusalém (Lc 21,20).

Exegetas foram buscar no original hebraico do Livro de Daniel 12,11; 9,27 e 11,31 (Mateus o cita claramente) encontrando as palavras shíqqûç shômen que traduzidas para o grego na Septuaginta significam, literalmente, “abominação da desolação”.

Os especialistas, apesar dos seus esforços, divergem quanto ao seu significado preciso; enquanto a maioria concorda que shíqqûç, “abominação”, designaria algo concreto como um altar ou estátua, imagem, pertencente a algum culto idolátrico, outros afirmam ser uma designação insolente a algum deus ou um ídolo pagão.

Segundos alguns pesquisadores, shômen, se traduz pelo abstrato “desolação”, e outros se referem à desolação com a destruição do Templo de Jerusalém descrita em 1 Mc 1,54 e 4,38, assim como à introdução na Cidade Santa dos padrões pagãos romanos, pelo general Tito, pouco antes de sua destruição, prevista por Jesus.

No ano 40, Caio Calígula decretou que erigissem e adorassem sua estátua no Templo de Jerusalém; sob intenso protesto dos judeus revoltados com a possível profanação, finalmente, por intervenção de Agripa I seu decreto foi revogado.

<fbl>